Quero-quero defendendo seu ninho


O quero-quero é sempre o primeiro a dar o alarme quando algum intruso invade seus domí­nios. É uma ave briguenta que provoca rixa com qualquer outra espécie habitante da mesma campina. As capivaras tiram bom proveito da convivência com o quero-quero, pois, conforme a entonação, o grito dessa ave pode significar perigo. Então os grandes roedores procuram refúgio na água.

Essa característica faz do quero-quero um excelente cão de guarda, sendo utilizado por algumas empresas que possuem seu parque fabril populado por estas aves.

Costuma viver em banhados e pastagens; é visto em estradas, campos de futebol e próximo a fazendas, frequentemente longe d'água.

Outro dia, enquanto assistíamos a um jogo de futebol, pudemos observar um quero-quero que havia feito seu ninho no campo e ali montava guarda, cuidando de seus ovos. Conseguimos captar algumas imagens, que embora caseiras, nos permitem ver a forma como ele se arma para defender sua futura família, exibindo os esporões de suas asas e emitindo seu chamado estridente. E o interessante é que a aproximação dos meninos não afugentou a ave. Muito pelo contrário: os meninos é que tiveram que deixar o campo. Placar final: 1x0 para o quero-quero. 


O quero-quero é uma ave da ordem Charadriiformes da família Charadriidae.

Seu nome científico significa: do (latim) vanellus = diminutivo de vannus = abibe, (nome popular de uma ave passeriforme que habita Portugal); e chilensis = referente ao pais do Chile, originário do Chile.⇒ Pequena Abibe do Chile ou abibe-do-sul chilense.

Mede 37 centímetros, peso 277 gramas. Possui um esporão pontudo, ósseo, com 1 centímetro de comprimento no encontro das asas, uma faixa preta desde o pescoço ao peito e ainda umas penas longas (penacho) na região posterior da cabeça, tem um desenho chamativo de preto, branco e cinzento na plumagem. A íris e as pernas são avermelhadas. O esporão é exibido a rivais ou inimigos com um alçar de asa ou durante o voo.

Esta espécie não possui dimorfismo sexual.

O quero-quero se alimenta de invertebrados aquáticos e peixinhos que encontra na lama. Para capturá-los, ele agita a lama com as patas para provocar a fuga de suas presas. Também se alimenta de artrópodes e moluscos terrestres.

Na primavera, a fêmea põe normalmente de três a quatro ovos. Nidificam em uma cavidade esgravatada no solo; os ovos têm formato de pião ou pera, forma adequada para rolarem ao redor de seu próprio eixo e não lateralmente, sendo manchados, confundindo-se perfeitamente com o solo. Quando os adultos são espantados do ninho fingem-se de feridos a fim de desviar dali o inimigo; o macho, torna-se agressivo até mesmo a um homem. Os filhotes são nidífugos: capazes de abandonar o ninho quase que imediatamente após o descascamento do ovo.


O quero-quero é uma ave típica da América do Sul, sendo encontrado desde a Argentina e leste da Bolívia até a margem direita do baixo Amazonas e principalmente no Rio Grande do Sul, no Brasil. Habita as grandes campinas úmidas e os espraiados dos rios e lagoas.

O quero-quero faz parte da lista de aves fotografadas nas nascentes do Rio Cachoeira.


Fotos e vídeo: Pedro Campos ( O vídeo foi editado para preservar a imagem dos meninos).
Fonte das informações sobre o quero-quero: Wikiaves

Compartilhe

Veja também:

Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »