Histórias de observadores...


A ave.
O observador.
Ela perfeita, ligeira.
Ele maravilhado, atento.
Ficam assim por segundos... por sorte minutos.
Por vezes o encontro fica só na memória.
Outras vezes a emoção é registrada.



Por trás das câmeras fotográficas dos observadores de aves existem belas histórias. E nós queremos contá-las aqui no blog. Hoje você vai conhecer um pouquinho do observador Edson Dressel que, motivado por seu filho de  apenas 4 anos, deixou de ser passarinheiro de gaiola, tornou-se um observador de aves e fundou o COAMA - Clube dos Observadores de Aves da Mata Atlântica, em Joinville/SC. Emocionante! Confira. 

"Sempre fui um apaixonado por pássaros. Gostava de criá-los, de observá-los, só que em viveiros ou gaiolas. Lembro que há uns 20 anos atrás eu ia jogar tênis com meu irmão em um hotel fazenda no Quiriri. Lá tinha um pomar, desses que a gente tinha antigamente em casa. Eu achava bonito e até comentei certa vez com meu irmão e com meu cunhado: “Se um dia eu tiver um local onde eu possa fazer um pomar para observar os pássaros, vou acabar com esse negócio de passarinho em gaiola”. Mas o tempo ia passando e eu continuava com meus pássaros aprisionados.

Certa vez apareceu um americano aqui para fotografar pássaros. E ele entrou em contato com a associação de passarinheiros, da qual fazíamos parte. Ele achou que o nosso negócio era passarinho solto, mas naquela época era de gaiola. Como meu irmão arranhava o inglês, decidimos acompanhá-lo, como guias. E o interesse pela observação ia cada vez mais entrando em minha vida.

Um dia estava eu a passear com meu coleiro na gaiola. Quando cheguei em frente a minha casa, encontrei meu filho mais novo, que na época tinha três pra quatro anos de idade. Ele estava abaixadinho, com a mão no queixo, olhando para o mato. Havia chovido muito na noite anterior. Olhei para ele e perguntei: “Filho, o que você está olhando aí?” E ele me respondeu: “Pai, eu tô olhando a natureza...” Quando ele me disse isso eu senti algo que nunca havia sentido antes. Foi um baque, uma sensação difícil de explicar. Algo despertou dentro de mim e eu pensei: “Estou errado. O que eu estou fazendo é errado.” Aí então eu entrei em casa e disse à minha esposa: “Vou acabar com os passarinhos todos. Não quero mais nenhum na gaiola”. E ela disse: “O que aconteceu? Você anda com esses passarinhos pra cima e pra baixo...”. Aí eu disse: “É que o André me disse uma coisa lá fora”...

Eu olhei para aquele passarinho na gaiola e deu vontade de chorar. Liguei para o meu irmão e disse: “Mano, chegou a hora. Vou acabar com os passarinhos de gaiola. Vou vender e fazer algo diferente. Eu estive pesquisando sobre observar pássaros... vou vender os passarinhos e comprar uma máquina fotográfica”. Na época meu irmão Carlos ficou na dúvida... ele também tinha pássaros na gaiola. E então o nosso amigo Rogério da Silveira também entrou na conversa. Eu vendi os pássaros, comprei a máquina e começamos a sair para fotografar.  Fomos gostando cada vez mais da atividade e fizemos o blog, para contar nossas experiências, postar nossas fotos. E foi assim que três passarinheiros de gaiola começaram o COAMA – Clube dos Observadores de Aves da Mata Atlântica.

E aí então a vontade de fazer um pomar ficou mais forte. Com a ajuda da comunidade preparamos o terreno, que fica em frente à minha casa, numa região privilegiada, próximo às nascentes do Rio Cachoeira. Comecei a pesquisar, a plantar flores e árvores frutíferas para atrair os pássaros.


Hoje o pomar tão sonhado é uma realidade, aberto ao público. Nele já registramos até agora 113 espécies de aves. O COAMA existe desde 2010, e nestes 6 anos de existência nosso trabalho já ganhou o mundo, recebendo inclusive prêmios de ecologia. Nosso principal objetivo é disseminar e incentivar a observação de aves como uma prática saudável, que traz inúmeros benefícios à vida das pessoas, bem como para a natureza.  Estamos sempre procurando novas formas de divulgar esta prática, com bate papos, palestras, visitas nas escolas e eventos diversos que despertem nas pessoas o interesse por esta atividade tão bela".

Uma bela história não é mesmo? E você, também tem uma história de observador para contar? Conhece alguém que tenha? Escreva pra gente. Ficaremos felizes em compartilhá-la aqui no blog.

Compartilhe

Veja também:

Próxima
« Prev Post
Anterior
Next Post »